Senadores divergem sobre greve geral convocada para o dia 28 de abril

A greve geral convocada pelas principais centrais sindicais e sindicatos do país contra a reforma da Previdência, a terceirização da mão de obra e as reformas trabalhistas divide opiniões no Senado. Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), é preciso ir às ruas. "Quem sabe assim, a população brasileira acorde e chacoalhe a maioria dos deputados e a maioria dos senadores que querem aprovar essas reformas. Quem sabe precisamos ir às ruas, paralisar as escolas, o transporte coletivo, paralisar tudo, para que o Parlamento brasileiro caia na real”, diz ela. 

Já o senador José Medeiros (PSD-MT) sustenta que a manifestação foi organizada por defensores da ex-presidente Dilma Rousseff. “Um governo que caiu. E agora tenta buscar novamente sua predominância, seu lugar perdido com as ruas”, declarou.

Fonte: Ana Beatriz Santos, da Rádio Senado.