Marcela Temer deveria ler a carta do padre Djacy Brasileiro

João Pessoa - A capa da revista Veja desta primeira semana – de 2017 – traz Marcela Temer, primeira-dama, como a nova aposta para tentar alavancar os índices de popularidade do governo Temer, se isso for verdade ela deve desembarcar em breve em Piancó, no Sertão paraibano, na defesa do povo sertanejo. As redes sociais estão sendo usadas para pedir ajuda para as vítimas da seca.

O padre Djacy Brasileiro, que reside no sertão paraibano, e que em 2012 acampou com uma cruz de lata em frente ao Palácio do Planalto denunciando o estado de calamidade vivido pelos habitantes de sua região devido seca no Nordeste brasileiro, escreveu hoje (4/1) no seu twitter:

“Situação dos sertanejos vai se agravando a cada dia que passa. Falta água, falta comida. Falo com conhecimento de causa. Socorro!”

Que a bancada nordestina federal se mobilize.

Confira abaixo, na íntegra, a carta do padre:

VÍTIMAS DA SECA CLAMAM POR CESTAS BÁSICAS.

Moro no sertão, convivo com o povo, noite e dia. Conheço de perto sua dura e triste realidade. A cada dia que passa, as vítimas da seca sofrem, e como sofrem. O desespero vai se agigantando. O cenário é desesperador.

O clamor dos sertanejos pobres, sofridos, desamparados, é grande. Falta água, falta comida. Diante dessa triste situação, como Padre, SUPLICO que os governos estadual e federal socorram urgentemente com CESTAS BÁSICAS, esses irmãos do sertão.

Os sertanejos precisam de água e alimentos. Não custa nada, socorrê-los, repito, com cestas básicas: feijão, arroz, macarrão, açúcar, café etc. Socorrer as vítimas da seca, neste momento, com água e cestas básicas deve ser prioridade número um para qualquer governante sensível e humano.