CPI da Lei Rouanet: Governo Dilma não foi leniente no Ministério da Cultura, diz ministro de Temer

Em audiência, (27/10), da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lei Rouanet, motivada pela Operação Boca Livre da Polícia Federal, o deputado federal Domingos Sávio (PSDB-MG), relator da CPI, quis saber do atual ministro da pasta da Cultura (Governo Michel Temer) se não houve leniência das gestões anteriores.

Não culpando os antecessores (leia-se Governo Dilma), o ministro da Cultura, Marcelo Calero respondeu a pergunta: "Estou certo de que o ministério empreendeu seus melhores esforços, em todos os momentos, para fazer as auditorias, e é nesse sentido que nós estamos trabalhando”.

O ministro aproveitou o momento e criticou o fato de agentes policiais questionarem alguns projetos: "Os delegados da Polícia Federal não podem também, com todo o respeito, se arvorar a fazer balizamentos de política cultural...”

A reação do deputado Izalci (PSDB-DF) foi imediata: “Mas eles não chegaram a esse ponto não, ministro. Eles falaram em indícios das irregularidades. Já estou adiantando porque daqui a pouco vão dizer que a PF está definindo a política cultural. Não é isso!”.

É bom lembrar, senhoras e senhores parlamentares, que em julho o ministro da Cultura, esteve reunido com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e disse na época: Ministério vai atuar para que não haja a criminalização da classe artística.